Home > Matérias > Entrevistando o handler Wladyr Uchoa

Entrevistando o handler Wladyr Uchoa

Quem ? | Wladyr Uchoa – Uchoa’s Kennel

Onde? | Fortaleza –CE

E N T R E V I S T A

Cinofilia-BR – Como se deu o seu ingresso em cinofilia? Conte-nos como foi o seu começo.

Wladyr Uchoa – Desde criança tive cães. No início foram duas mestiças: “Pink” e “Peteca”. Sou de uma família de 4 filhos, e um de meus irmãos, Wagner, tinha um amigo que havia adquirido um filhote de dogue alemão azul. Quando fomos a uma festa na casa desse amigo, ficamos maravilhados com aquele cão e resolvemos ter um de raça pura com pedigree. Daí procuramos, em uma revista especializada, um Canil em nossa cidade e encontramos o Stanovoi`s Kennel que criava Husky Siberiano. Resolvemos, então, com a ajuda de nossos pais, comprar um filhote, isso foi em 1987. Compramos o cão Stanovoi`s Rick Niev, levamo-lo para sua primeira e única exposição em Juazeiro do Norte e descobrimos que ele era monorquídeo. Fomos orientados a procurar a criadora para resolver o problema e acabamos ganhando outros dois problemas: além de continuarmos com o Rick, compramos a metade de outro macho, o Dvorak, e compramos outra fêmea, a Svenska. Só que os dois eram prognatas. Desistimos dessa criadora e procuramos o sr. Airton, titular do Canil Kiska`s Kennel em Contagem-MG. Quando de uma viagem de nossa família, adquirimos Kiska`s Red Kira que foi nossa primeira Campeã, depois vieram Kiska`s Czar Shammovar, Bianca do Alasa, Santo Alberto`s Tell Me No Lies, Hillbrook`s Tieta do Agreste e muitos outros, até nossa primeira importação que foi Innisfree`s Tux Sporting Field. Ele se tornou um super ganhador, tendo vencido mais de 25 BIS (Best in Show). Eu, meu irmão Wagner, Ademar de Jesus e Dino Miraglia apresentávamos nossos cães, daí surgiu o interesse de mostrar cães em exposições.

Cinofilia-BR – Há alguma experiência fora do Brasil? Conte-nos a respeito.

Wladyr Uchoa – Trabalhei para dois dos maiores Handlers que a cinofilia já viu: Flávio Werneck e Marcelo Chagas e eles me deram a oportunidade de mostrar meu serviço também no exterior. Já apresentei cães nos Estados Unidos, por algumas vezes, em grandes eventos, tais como Montgomery County KC (Maior exposição de Terriers dos EUA), Bucks County KC, Trenton KC, Wine Country Circuit…….. Todos esses momentos foram muito importantes e emocionantes na minha carreira, mas um deles foi especial: fechei o Campeonato Americano de um cão, que adquiri quando filhote (2 meses), de um cliente e amigo (Mauricio Noronha). Esse cão jamais será esquecido: Elharlen`s Yukon Gold (TACO).

Estive também na Europa, mas com a finalidade de escolher e adquirir cães.

Cinofilia-BR – Quais os requisitos básicos para ser-se um bom Handler?

Wladyr Uchoa – Sem dúvida, a coisa mais importante é você amar e dar valor ao que faz. É muito importante também ter conhecimento a respeito das raças as quais deseja trabalhar: Padrão, Trimming, Grooming, Handling.

7N8B1649_WEB

Cinofilia-BR – O que o mercado atual pede e espera desse profissional?

Wladyr Uchoa – Uma coisa é certa: todo proprietário deseja que seu cão tenha todo o cuidado necessário, então, o importante é oferecer um serviço de qualidade, com transparência e que satisfaça todas as necessidades desses cães e proprietários.

7N8B1700_WEB

Cinofilia-BR – Quais os investimentos básicos necessários para se principiar a carreira de handler profissional?

Wladyr Uchoa – É importante que invista em você mesmo, fazendo cursos com outros profissionais mais experientes, estágios em canis de referência……….

É importante também que se tenha uma estrutura básica com canis, corredeiras, pátios, sala de grooming e trimming, daí pode-se estabelecer uma relação mais próxima com o cão.

KCEC-Wladyr-foto-3

Cinofilia – BR – Em sede de cinofilia, o que você desenvolveria se não fosse handler?

Wladyr Uchoa – Acho que seria Handler de novo. Quando me aposentar penso em ter meus próprios cães e quem sabe poder estar preparado para julgar ou ser dirigente de um clube.

7N8B8571_WEB

Cinofilia – BR – Você já está no ramo há mais de duas décadas. Durante esse tempo, qual a maior evolução cinolófica que você poderia assinalar?

Wladyr Uchoa – Costumo dizer que a vida é um eterno aprender e ensinar, portanto, todos os dias estou aprendendo e tudo que aprendo considero como mais uma grande evolução.

 

Cinofilia-BR – Ser handler é, antes de mais nada, ter responsabilidade com animais de outrem, bens quase sempre caríssimos. Gostaria que você falasse sobre suas atividades com os animais. Pediria que falasse sobre grooming, trimming, cuidados, enfim exigido pelos cães em geral, bem como sobre a saúde canina.

Wladyr Uchoa – Uma coisa todos os cães tem em comum: eles precisam de muito amor e carinho, portanto, isso é o carro chefe do meu trabalho. Como falei anteriormente, é importante que se tenha conhecimento a respeito das raças com as quais deseja trabalhar, então, pra que se faça um grooming ou um trimming de qualidade é importante que conheça as características de cada raça e do cão com o qual se está trabalhando. Com relação à saúde canina, busco sempre me informar a respeito dos problemas mais freqüentes nos cães e entrego meu Canil a profissionais nos quais confio plenamente.

7N8B7756_WEB

Cinofilia-BR – Como você avaliaria os equipamentos e os materiais existentes no Brasil e no exterior? São necessários ao desenvolvimento de sua atividade profissional? Em que medida?

Wladyr Uchoa – O dom é a coisa mais importante nesse ramo, mas é de extrema importância que se tenha as ferramentas necessárias para se desenvolver um bom trabalho. No Brasil já existem alguns produtos de qualidade, mas ainda não conseguimos atingir a qualidade dos produtos importados.

 

Cinofilia-BR – Fale de suas vitórias e, em particular, a que mais o marcou.

Wladyr Uchoa – Posso dizer que sou uma pessoa feliz com o resultado do que faço, já tive grandes conquistas como o primeiro BIS com meu Husky TUX, com o Campeonato Americano do TACO e muitos outros que se fosse elencar aqui iria me demorar muito. Uma coisa é certa: toda e qualquer vitória é extremamente gratificante; nós estamos lidando com cães e com pessoas, seus proprietários, e a reação de cada um deles é diferente da outra e todas fazem com que eu veja o quão importante foi aquilo pra eles.

 

Cinofilia-BR – Wladyr: quantos Best in shows já conquistou?

Wladyr Uchoa – Infelizmente não tenho está estatística, mas acho que gira em torno de uns 200. Lembrete importante: Quem ganha o BIS são os cães, eu só ajudo.

 

Cinofilia-BR – Sabemos que você é papai e nem sempre pode estar presente com a família nos finais de semana. Como é conciliar a atividade profissional, que o leva às exposições de fins de semana, e a relação com a família?

Wladyr Uchoa – Se é que existe uma parte ruim na profissão é essa, mas com muito amor e carinho tudo é superado e tenho uma família linda e unida que faz com que eu consiga levar adiante essa minha profissão.

 

Cinofilia – BR – Você está em uma região distante dos chamados grandes centros cinolóficos. Como você vê a cinofilia NE e quais as suas perspectivas para o futuro? Que dicas poderia dar para melhorarmos a nossa cinofilia?

Wladyr Uchoa – Acho que a cinofilia do NE segue o mesmo ritmo das outras regiões, mesmo sabendo que em outros centros o desenvolvimento é maior. A cinofilia na nossa região teve uma tendência de crescimento no início da década, mas por conta da falta de intercâmbio, e em algumas situações, de humildade entre os dirigentes e criadores, a curva de crescimento, na minha opinião, está descendente.

Espero que haja um maior intercâmbio e uma profissionalização das pessoas envolvidas com a cinofilia: dirigentes, criadores, proprietários, handlers, com isso teríamos exposições mais bem organizadas, em lugares que atraíssem mais público. E é exatamente esse novo público que fará com que a cinofilia cresça mais ainda.

Cinofilia – BR – Alguma dica para quem está começando?

Wladyr Uchoa – Não tenha medo, nem vergonha de perguntar nada a um profissional mais experiente, observe tudo, todos os detalhes, e vá ao encontro desses profissionais para tirar todas as suas dúvidas.

 

Cinofilia-BR – Agradece ao profissional.

Wladyr Uchoa – Eu que agradeço o convite e aproveito para parabenizar esse belíssimo trabalho realizado por você e sua equipe para o engrandecimento desse meio.

Por Bruno Sant’Ana.

Você pode gostar desta postagem
KCEPI – Kennel Clube do Estado do Piauí.
GOSTAR DE CÃES É O PRINCIPAL REQUISITO 
PARA SER UM BOM HANDLER – Flavio Werneck
Entrevistando o handler Claudio Cruz
Entrevistando o handler Miguel Gondim

Fazer um Comentário